Talvez você nunca tenha pensado sobre o assunto ou mostrado interesse ou mesmo é algo que nem passou pela sua cabeça, mas nem tudo que você consome realmente é chá. Na realidade, há diferença entre blends de chá, infusão e chá propriamente dito. No conteúdo de hoje, vamos conversar sobre a diferença entre os três.

Antes de mais nada, é importante acrescentar que chá são apenas as infusões de Camellia Sinensis, as demais podem ter outras variações que determinam seu sabor, cheiro e coloração inclusive. Continue acompanhando a leitura, que ficará mais fácil para entender. Vamos lá?

O que é chá na realidade?

Para quem não sabe a palavra chá é de origem chinesa e é referente a colheita do Camellia Sinensis e fazer uma infusão com ela. Portanto, somente é chá as bebidas que derivam dessa planta unicamente.

Ela é extremamente popular tanto na Europa como na China, podendo ser chá verde, chá branco e preto ou até mesmo vermelho. O que vai determinar a coloração é o processo de colheita, secagem e hidratação da planta e posteriormente sua oxidação e fermentação da mesma.

E a infusão: O que significa?

Sabe aquele chá calmamente que você bebia na infância? Chá de erva-cidreira, por exemplo? Ou de camomila? Pois então, aquilo se chama infusão. Isso se deve a ser usado uma erva que não seja a do chá (Camellia Sinensis), aí chamamos de infusão.

Outro detalhe importante: o processo de fazer a bebida de chá também é uma infusão. Lembra das receitas da internet que indicam que não se pode deixar a água ferver, colocar a erva e deixar em repouso? Porque esse é o processo da infusão.

Nele a água não pode ferver, deve no máximo soltar as bolhas do fundo e ficar em 80º e aí sim desligar e deixar a erva em repouso por pelo menos cinco minutos.

O que é o Blend?

Bom, o blend de chá é de origem inglesa e significa mistura. Ou seja, quando usamos mais de uma erva para fazermos nosso chá, estamos misturando e portanto fazendo um blend de chá.

Podemos considerar um blend o famoso o Tchai, por exemplo. Aqui na Tea Road trabalhamos bastante com blends baseados na ciência Ayuerveda. Durante muito tempo, os chás foram estudados pelas suas propriedades curativas.

Com o blend de chá da linha Body & Soul é possível degustar uma bebida carregada de compostos antioxidantes, anti inflamatórios, com minerais, ervas, flores e especiarias focados em sua saúde e bem-estar.

Que aliados a uma boa alimentação e um estilo de vida saudável auxiliam na limpeza do sangue, nas funções diuréticas e na boa digestão.

Agora que você já conhece as diferenças entre cada um deles e alguns produtos da nossa linha. Vamos conhecer mais dos chás?

Quais são os tipos de chá existentes hoje?

Bom, conforme explicamos acima o chá de verdade é feito a partir e unicamente da planta Camellia, os demais são infusões de outras ervas para criar o chá. Conheça outras possibilidades. Existem os clássicos mais conhecidos e os únicos, que são produzidos a partir de solos especiais e em condições particulares para criar sabores especiais.

Chá Branco

É uma variedade menos processada, é um chá mais leve e delicado com pouca cor e corpo, mas também extremamente complexo. Criado a partir dos brotos macios da Camellia ou com as folhas mais jovens, é o que contribui para ele ser mais doce. Na Tea Road nós temos três variações deliciosas para seu paladar.

Chá verde

É mais suave que o chá preto e ainda sim possui mais corpo e maior densidade que o branco. Seu processo consiste em evitar que sua folha oxide e assim possamos encontrar sabores vegetais e aromas e algumas notas tostadas. Temos diversas opções deste chá também.

Chá Oolong

Considerado um dos mais complexos, seu perfil varia conforme sua oxidação. Seus níveis podem variar de 20% a 30%. Após atingir o ponto esperado, o processo de oxidação é interrompido por meio da secagem. E assim começa sua divisão entre baixa e alta oxidação.

São extremamente sedosos e aromáticos.

Chá Preto

Folhas de chá que sofrem oxidação plena, mas há variações onde folhas colhidas na primavera acabam sofrendo menos oxidação. Portanto, as folhas acabam sofrendo um enrolamento mais agressivo para o processo de oxidação.

Para assim atingir a matização e aroma próprio do chá preto.