Acalmar a mente e destralhar a mente

Destralhar a mente nos permite fugir dos efeitos negativos dos excessos e nos incentiva a liberar espaço para aquilo que é relevante.

Acumulamos, diariamente, uma infinidade de informações inúteis ou desimportantes. Toda essa tralha pode gerar distrações, ansiedades e confusão mental.

O que é destralhar a mente?

Alinhado ao minimalismo, o conceito de destralhar a mente refere-se ao ato de livrar-se daquilo que não é útil ou necessário.

Quantas vezes você já se pegou refletindo sobre assuntos que pouquíssimo te importam? Perdeu o foco e se viu em meio a um emaranhado de ideias aleatórias, devaneios?

Chá acalmar a mente De repente, você se percebe pensando sobre o gato da vizinha e nem sequer sabe como seus pensamentos chegaram até ali. Enquanto isso, uma lista de e-mails está esperando respostas, sua planta está morrendo de sede e você esqueceu o seu chá na cozinha esfriando.

Sua mente viaja e você se sente frustrado e ansioso por não finalizar as tarefas planejadas. 

Destralhar a mente é diferente de esvaziá-la ou de acalmar os pensamentos. Destralhar significa manter somente o que é importante. Não vá se livrar de tudo, ok?

As tralhas são apenas as distrações que nos afastam de nossos objetivos e metas, complicando nossas vidas. O escritor canadense Robin Sharma argumenta que:

“O melhor modo de simplificar sua vida é destralhar sua mente”

Para te ajudar nesse processo de destralhar a mente, descrevemos dois hábitos essenciais para destralhar sua mente.

 

Como destralhar a mente?

Duas dicas essenciais para destralhar a mente, acalmar seus pensamentos, ter mais concentração e viver melhor:

Dê significado às suas escolhas

Escolha com cuidado o que realmente importa, observando quais valores são fundamentais para você. Com base nisso, você será capaz de definir necessidades, afetos e visões de mundo com as quais se identifica ou não.

Para tanto, é muito importante conhecer a si mesmo. É imprescindível relembrar suas raízes, se orgulhar de suas trajetórias e reconhecer as transformações pelas quais passou ao longo de sua história.

Ancore-se em sua melhor versão, utilize-a como bússola para imaginar futuros possíveis, atenha-se aos seus planos e foque em seus objetivos de vida. 

Assim, é possível avaliar o quê ou quem contribui para sua felicidade e bem-estar. Apenas esses serão merecedores de sua concentração

Ao invés de acumular pessoas e coisas que geram informações desnecessárias, resuma-se ao essencial. Nas palavras do arquiteto Ludwig Mies van der Rohe:

menos é mais!

Quando conhecemos o que é importante para nós, dedicamos nosso tempo e energia somente ao que harmoniza com nossos valores e ideais.

Essa clareza nos proporciona equilíbrio, leveza e simplicidade. Você não apenas se livra e evita o que é negativo e desnecessário, também se depura.

Agregar significado às suas escolhas de vida tem um efeito libertador e calmante para sua mente.

Filtrar os pensamentos 

Esse parece o mais óbvio, certo? Sim, eu sei!

Mas não é fácil tomar as rédeas da nossa imaginação. Nossa mente passeia e, quando nos damos conta, estamos pensando no aquecimento global, naquela briga de semana passada com o namorado, no fim da pandemia…

O que essas coisas têm em comum? Não podemos controla-las ou muda-las! Filtrar e controlar nossa mente é sobre isso, tentar se ater apenas àquilo que está ao nosso alcance ou nos compete.

A qualidade dos conteúdos que você consome

Consumimos uma imensidão de conteúdo que nada agrega para o nosso desenvolvimento pessoal ou sobre o qual nada podemos fazer.

destralhar a mente ; acalmar a menteNão devemos nos alienar e deixar de consumir informações sobre o que acontece no mundo ou a nossa volta, mas podemos fazer isso com equilíbrio e moderação. Do contrário, somos tomados pelo medo, angústia e indignação, sobretudo, nos dias de hoje.

Escolha suas batalhas

Vivemos uma crise mundial e uma pandemia, sem data para terminar. A vida está cheia dos nossos “probleminhas” pessoais, das nossas questões particulares e de “problemões” de escala global, a qualidade do ar, por exemplo.

Nesse sentido, é importante cultivar a empatia por si mesmo e medir o quanto somos afetados pela infinidade de informações que circula rápida e intensamente, em tempos digitais.

Questione-se: Isso me importa? Está ao meu alcance? Você pode se sensibilizar com um problema de um amigo, oferecer-lhe carinho e conforto, mas, caso você não possa literalmente resolver, limite seus pensamentos sobre o assunto.

Você pode, ainda, se preocupar com o aquecimento global. E, por isso, reciclar seu lixo, economizar água e ensinar seus filhos sobre responsabilidade ambiental, mas é inútil passar seus dias refletindo a cerca de cada centímetro de calota polar que se desfaz.

Destralhar seus pensamentos é o melhor caminho para uma vida mais leve, fluida e descomplicada!